fbpx

Conhecendo o setor de Clássicos: “Qual o significado das análises?”

Conhecendo o setor de Clássicos: “Qual o significado das análises?”
23 de setembro de 2021 Freitag Laboratórios

 

O setor de Clássicos do Freitag Laboratórios executa análises da área de meio ambiente, atendendo desde água ultrapura (utilizada na fabricação de fármacos ou hospitais), a água de consumo humano (recentemente discutida na nova portaria de potabilidade), a água bruta (em que se enquadram as águas superficiais, águas subterrâneas, águas salinas/salobras), até as águas residuais (os efluentes; dos “esgotos” altamente contaminados). 

No entanto, percebemos que é comum haver dúvidas sobre o significado das análises. Normalmente percebemos a necessidade de atender uma legislação, mas quando há problemas maiores, nos obrigamos a buscar aprofundamento sobre o assunto. Um ensaio mal avaliado pode trazer custos e dificuldades muito maiores do que simplesmente “um valor que deu fora!”. 

 

Vamos entender um pouco melhor sobre o que são essas análises?

 

Demanda Bioquímica de Oxigênio – DBO 

É uma forma de interpretar a matéria orgânica presente na amostra, sendo que corresponde ao oxigênio necessário para oxidá-la  através da ação biológica (microrganismos), ou seja, quantifica a matéria orgânica biodegradável. A execução da análise demora 5 dias.  Normalmente, sua medida é usada em controles de ETEs para calcular a aeração necessária para degradar a matéria orgânica. De modo geral, é considerada um dos principais medidores de “poluição” – quanto mais alta a DBO, maior o impacto causado no meio ambiente.

Demanda Química de Oxigênio – DQO

É uma forma de interpretar a  matéria orgânica presente na amostra,  sendo que corresponde ao oxigênio necessário para oxidá-la através da ação de químicos. De modo geral, é considerada um dos principais medidores de “poluição”. A execução da análise demora entre 2 – 3 horas. Normalmente, sua medição é utilizada junto com a de DBO na interpretação e tomadas de decisões nos tratamentos de esgoto. Podemos associar que quanto mais alta a DQO, maior a carga química oxidável presente na amostra, ou seja, maior é sua contaminação, sua carga de material/químicos. 

Surfactantes Aniônicos 

São agentes tensoativos de carga negativa compostos quimicamente por uma parte hidrofílica (gosta de água) e outra hidrofóbica (não gosta da água). Devido a esta característica, normalmente conseguem gerar emulsão ou espumas. Na área de análise de água, correspondem principalmente aos detergentes aniônicos presentes em virtude dos despejos dos esgotos domésticos, industriais e tratamentos químicos. No entanto, os surfactantes também possuem contribuições de outros compostos: produtos agroquímicos, cosméticos, tintas, cerâmica, alimentos, tratamento de couros e têxteis, formulações farmacêuticas, óleos e lubrificantes (ou seja, se sua amostra tem contribuição de alguma destas atividades, ela pode positivar para surfactantes). A reação colorimétrica por “azul de metileno” é a forma mais comum de quantificá-los em laboratório. 

Cor Aparente

É uma propriedade física da água. Naturalmente é gerada pela presença de matéria orgânica, ferro e  partículas  suspensas (óxidos, algas, partículas coloidais). Descargas de químicos e efluentes também podem contribuir (corantes, compostos orgânicos e inorgânicos da indústria). Nesta análise, a amostra não é filtrada e acaba sendo analisada em até 48h utilizando o procedimento de comparação visual. Através da cor pode-se avaliar se há impurezas na água que prejudiquem os processos, atividades ou o meio ambiente (desde a água de um poço artesiano;uma água para envase de conservas; ou o impacto da erosão das margens de um rio).

Cor Verdadeira

É uma propriedade física da água. Neste ensaio, a amostra é filtrada, removendo boa parte das partículas que lhe conferem turbidez. Logo após, é analisada em espectrofotômetro em até 48h. O fato de passar por filtração torna este resultado o mais fiel a propriedade de “Cor”, já que se fosse a “Cor Aparente” teria muita influência/variabilidade gerada  pelos compostos suspensos da água. 

pH

O “Potencial Hidrogênico” da amostra representa a atividade dos íons hidrogênio (H+) que pode conferir, em determinada temperatura, características ácidas ou básicas na solução. É uma das análises mais comuns e básicas, sendo executada preferencialmente em campo (o prazo normalizado é de 15 min). Todavia, é executada em bancada para auxiliar no controle de muitas outras análises e processos. O pHmetro (equipamento que mede pH corrigindo também sua temperatura), é um dos instrumentos essenciais do laboratório. Um pH ideal, na maioria dos casos, é próximo a faixa da neutralidade ( 7 ), no entanto, muitas atividades podem alterar essa propriedade conferindo à água características até corrosivas (pH extremo, como 2 ou 13), danosas ao meio ambiente e à saúde humana. Existem muitos processos produtivos, biológicos e químicos que tem dependência de um pH em especial para acontecerem corretamente (desde uma enzima no corpo humano até o tratamento de efluentes). 

Turbidez

Ensaio essencial na qualidade da água para consumo humano, porém também tem aplicações na avaliação da água para fins ambientais e industriais. Podemos, de modo leigo, afirmar que representa a “claridade” da água, pois, quanto mais matéria suspensa, sujidades e outros compostos que causem opacidade, maior será a Turbidez (ou seja, uma turbidez baixa pode ser um sinal de uma água mais “pura” ou “limpa”). A turbidez pode ter origem desde as finas partículas de argila, compostos inorgânicos dissolvidos, plâncton ou até microrganismos. Este ensaio é executado em até 48 através do procedimento Nefelométrico (normalmente usa-se Turbidímetro). 

Óleos e Graxas Totais

São vários compostos orgânicos, incluindo gorduras, óleos, ésteres e outros grupos de hidrocarbonetos (ou seja, nem tudo quantificado como “óleos e graxas” é necessariamente um “óleo/gordura”). É muito comum sua análise por extração via Soxhlet, em que, a amostra é filtrada e seu filtro contendo os “óleos e graxas” é extraído por algumas horas sob aquecimento através da ação de um solvente orgânico (hexano). O resíduo obtido desta extração é pesado e calculado. Os óleos e graxas podem ter origem animal, vegetal ou mineral, sendo isso fortemente ligado a atividade geradora do efluente (alimentício, caixa separadora, sanitário…). Elevados óleos e graxas podem indicar a presença de vários compostos orgânicos potencialmente prejudiciais a vida, por isso, são fortemente monitorados desde postos de combustíveis até estações de tratamento de esgoto. 

 

Os trechos acima são apenas alguns exemplos das atividades realizadas pelo setor e no laboratório. As interpretações podem ser muito mais profundas que isso! Muitas vezes, tais coisas são críticas para atender/justificar um Licenciamento Ambiental (LAO) ou garantir o andamento do processo produtivo. 

 

Gostou deste conteúdo? Gostaria de conhecer mais? Há  muito outros ensaios que podem ser abordados! Comente ou entre em contato! 

Autor: André Ribeiro do Prado – Gestor Técnico do Setor de Clássicos

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*