fbpx

Corrupção nos alimentos: o que afeta nossa vida?

Corrupção nos alimentos: o que afeta nossa vida?
23 de julho de 2018 Freitag Laboratórios
corrupção-nos-alimentos

Já não é de hoje que ouvimos falar sobre fraude, adulteração e descaso em alimentos que consumimos. A notícia vira notícia, quando o descaso abrange um número maior de pessoas adoecendo-as ou infelizmente alguém acaba perecendo.

Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Produto (RTIQ)

São poucos os produtores que levam à sério as rígidas regras de controle e confecção do produto (RTIQ) Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Produto destinado ao consumidor. Quantas vezes compramos um produto sem saber, se ele apresenta o que diz em seu rotulo ou muito vezes quando vamos consumi-lo; temos um presente: o produto pode estar estragado mesmo estando na validade, ou apresentando alguma irregularidade em sua aparência.

Mas isso são características visuais e são 5% do que realmente uma pessoa leiga pode ou poderá identificar no produto, os demais 95% são características que só poderão ser identificadas em Laboratório com especialidade de qualificação e quantificação Físico-química e microbiológica do produto em questão.

O laboratório utilizando técnicas sofisticadas e com metodologias internacionais, os especialistas conseguem desmistificar a corrupção aplicada em determinado produto.

Receitas de má fé

São várias as receitas digamos assim, para agir de má fé contra o consumidor. A seguir alguns exemplos:

1. Adulteração no leite, adiciona-se álcool etílico para ludibriar a adição de água na carga do leite. Fazendo com que o volume do produto final seja maior que o inicial. Sem contar adição de ureia, soro do produção final na elaboração do queijo.

2. Adulteração nos pescados congelados, adiciona-se mais água no congelamento dos files de peixe, camarão, e produtos da pesca ilegalmente. Fazendo com que o consumidor pague a água potável mais cara do mercado. Pois estamos pagando gato por lebre.

3. Adulteração em produtos cárneos:

3.1 Mortadelas, apresuntados e salsichas; maior adulteração se trata na adição de amido acima da legislação e uso de proteína (Carne) inferior também recomendada pelas Legislações de cada produto. Quem não sabia, mas a salsicha tem amido em sua composição, e em alguns casos valores elevados.

3.2 Salames, fica ao cargo na adulteração da Atividade de Água (Aw), que nada mais é um indicativo de vida de prateleira do produto. Trata-se até de muitos casos em que o produto esta estragado, sem ter alcançado o prazo de validade estipulado pelo produtor.

Atente-se aos perigos

Bem são vários casos, mas devemos estar atentos e desconfiar, se algo chamar nossa atenção ao adquirir um produto. Pois nossa vida é única, e devemos trata-la com dignidade. E não será pelo fato de alguns corruptos, que não se importam com o próximo, mas sim com seus ganhos, que nós consumidores não façamos nossa parte. Denuncie, pesquise e vamos comer produtos de qualidade.

Artigo desenvolvido por: Jader D. Klug

4 Comentários

  1. Flavio 5 meses atrás

    Parabéns pelo artigo Jader, é muito importante o pessoal ter consciência de seus atos.

    • Autor
      Freitag Laboratórios 4 meses atrás

      Obrigado pelo apoio, Flavio!

  2. Ariana 5 meses atrás

    Parabéns pelo belo trabalho desenvolvido.

    • Autor
      Freitag Laboratórios 5 meses atrás

      Obrigado pelo seu apoio, Ariana!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*